Vimos no texto anterior uma introdução sobre o que é graça e qual a sua finalidade em nossas vidas (se você não leu clica aqui). É através da graça que fomos salvos, é a graça que nos impulsiona a viver uma vida justa e sensata, nos encoraja a abandonar o pecado todos os dias e a seguir com Cristo. A graça é fundamental na vida do cristão, ela (juntamente com o Espírito Santo) é o agente da mudança, da transformação diária do nosso ser e da maneira como vivemos. Sendo assim, jamais devemos deixar de nos maravilhar com a graça. Quanto mais entendemos o que Deus fez por nós mais disposição temos para fazer aquilo que Ele quer que façamos.

Se você quer entender mais a graça, você precisa ter uma consciência crescente da sua pecaminosidade, perceber o quão podre você é te faz ver que realmente você não merecia ser adotado como filho do Deus Altíssimo, e então você entende quão grandioso foi o ato de amor sacrificial de Cristo na cruz. Quanto mais você vê seu pecado, mais você vê a graça de Deus. “Mas onde aumentou o pecado,transbordou a graça, afim de que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reine pela justiça para conceder vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor” (Romanos 5.20-21).

Não podemos nos enganar, a graça não serviu apenas para nos salvar. Nós vivemos pela graça, ela nos está disponível todos os dias e é abundante! Estudando sobre o assunto tive a chance de refletir sobre muitos pontos da graça, me depararei com uma devocional da americana Kim Cash Tate que me inspirou a escrever esse artigo. Ao dizer que vivemos pela graça, creio que existem alguns aspectos que merecem nossa atenção. De maneira clara e objetiva gostaria de abordar 3  desses aspectos.

O que deveríamos fazer com a graça

1. Clamar diariamente por graça. A graça não está a disposição apenas quando eu tenho um grande conflito, ou momento difícil em minha vida, algum problema que eu não consigo resolver. Eu preciso da graça todos os instantes. “Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, afim de sermos ajudados em tempo oportuno” (Hebreus 4.16). O apóstolo Paulo descreveu corretamente como se porta o coração do cristão “Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo” (Romanos 7.19). Ou seja, se dependesse apenas de mim, eu não conseguiria fazer nem as pequenas coisas por minha própria força, e porquê eu faria se eu tenho a graça para me ajudar?!

2. Ser um bom mordomo da graça. Mordomo tem a função de administrar, gerenciar algo para o seu senhor. A graça nos foi dada com um propósito, e Deus espera que a “usemos” da melhor maneira possível: para a glória dEle. Como administramos a graça? Usando os dons espirituais que foram dados para abençoar/servir os outros trazendo edificação e exaltando quem Deus é. Se você é um cristão, então tenha certeza que você tem um dom espiritual, e talvez até mais do que apenas um: “Cada um exerça o dom que recebeu para servir aos outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas” (1Pedro 4.10). “Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo” (Efésios 4.7). E aqui vale um lembrete de que não existe dons grandes e pequenos, todos os dons vêm de Deus e por si só já são grandes, por serem divinos. Administre seus dons de maneira em que Cristo apareça mais do que você.E se você não tem certeza de qual é o seu dom espiritual, peça para Deus te mostrar, e enquanto você busca preste atenção pra onde Deus tem direcionado o seu coração.

3. Crescer em graça.

A graça cresce na nossa fraqueza, Paulo (mais uma vez) recebe um “espinho na carne” não se sabe exatamente o que é, mas podemos ter certeza de que era algo que o incomodava muito, tanto que ele pede por três vezes para que o Senhor remova esse espinho. Contudo o Senhor o responde: “Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”, e então Paulo conclui “Eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim” (2Coríntios 12.9). Isso quer dizer que nos momentos em que você se sentir sobrecarregado, em que a resposta de Deus para sua situação não for a que você gostaria, esse é um ótimo momento para você depender do Senhor, colocar sua expectativa nEle e crescer em graça. A graça de Deus é uma solução melhor do que retirar o espinho de Paulo. 

A graça cresce na humildade: “Mas ele nos concede graça maior. Por isso diz a escritura: ‘Deus se opõem aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes’. Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês” (Tiago 4.6-7). Submeter-se a Deus é humildade, reconhecer que somos pecadores e que Ele é o nosso Senhor. Quando vamos ao Senhor em humildade a nossa experiência com a graça cresce!

E a graça também cresce enquanto crescemos espiritualmente: Pedro começa sua segunda carta dizendo no versículo 2 “Graça e paz lhes sejam multiplicadas, pelo pleno conhecimento de Deus e de Jesus, o nosso Senhor” e termina sua carta no versículo 18 da mesma maneira “Crescendo, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. Podemos crescer em graça a medida que crescemos em conhecer a Deus. Fazemos isso através da Escritura, da Bíblia. É importante ressaltar que conhecer está automaticamente ligado a relacionar-se. Se queremos mesmo saber quem Deus é precisamos dedicar-nos a isso, nos relacionar-nos com Ele. E quanto mais o conhecermos mais experimentaremos da graça.

Aprecie sem moderação. Desfrute plenamente da sua salvação pela graça, a graça é nos dada em abundância, errado seria não usufruir de tudo o que ela nos proporciona. Paulo afirma em 1Coríntios capítulo 15 versículo 10 “Pois sou o menor dos apóstolos e nem sequer mereço ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus. Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi inútil; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo” se a graça transformadora agiu na vida do “menor dos apóstolos e pior dos pecadores” já pensou o que ela pode fazer na sua vida?

A graça nos leva a conhecer e desfrutar mais do nosso relacionamento com Deus, e o nosso relacionamento com Deus nos leva a experimentarmos mais graça!

JG