Quantas vezes você já se converteu? Achou estranha a pergunta? Eu também acharia se não fosse por um amigo que me fez refletir a respeito. Todas as vezes que um culto quebrantava mais o coração dele, o fazia se emocionar e realmente refletir sobre quem ele era, ele comentava comigo que havia se convertido novamente. Eu sempre ria porque eu achava algo realmente engraçado, imagina um rapaz alto, barbudo, “semi-atlético” com 20 anos falar com voz de choro “Ow, acho que vou lá aceitar Jesus pro pastor orar por mim”, não era uma ou outra vez ou em cultos evangelísticos era sempre que sentia Deus falar com ele. Até que um certo domingo em um culto especial de natal, que realmente foi lindo, meu amigo perguntou para mim “Posso aceitar Jesus de novo?” a resposta foi “Sim” seguida de uma leve risada. Mas dessa vez eu comecei a pensar que o meu amigo tinha razão em querer se converter novamente. Todos nós deveríamos querer na verdade.

Pense por um momento, em uma câmera com o foco no automático, aparentemente é perfeito, você não tem que se dar ao trabalho de ficar ajustando a cada clique. Mas, certamente, vez ou outra você precisará bater o branco e mudar o foco para o manual e ajustá-lo outra vez, ou talvez limpar a lente para que seja possível focalizar e tirar a foto perfeita. Assim é nossa caminhada com Cristo, as vezes nos acomodamos demais com a rotina de ir aos cultos todo final de semana e é ai que ligamos o automático. O que não percebemos é que ligar esse botãozinho pode nos levar a ruína, simplesmente pelo fato de acharmos que somos autossuficientes (suficientes em nós mesmos) e deixarmos de lado a dependência em Deus e o buscar continuamente conhecer mais o nosso Pai.

O que eu quero dizer é que ao longo da nossa caminha se faz necessária algumas paradas, para que seja possível analisar como temos levado nossa vida, será que o comodismo ou a religiosidade já nos alcançaram? Um sinal nítido disso é quando ouvimos/lemos uma mensagem e logo vem em mente alguma pessoa “Humm, fulano deveria ouvir isso”, talvez você não saiba mas a Palavra de Deus é dirigida à você. Mesmo que o fulano precise ouvir não se esqueça que se você está ali ouvindo/lendo a mensagem, certamente ela é destinada primeiramente para você. Em Hebreus capítulo 4, versículo 12, parte “a” diz: “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz …”

A Palavra é viva: ela foi, é e sempre será eterna, atemporal e de extrema e suprema autoridade. Vemos isso claramente em Lucas 21.33 “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão.” e em Salmos 119.89 “A tua palavra, Senhor, para sempre está firmada nos céus.”

A Palavra é eficaz: do dicionário, eficaz é o que produz determinado efeito. “Assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual o enviei.” Isaías 55.11

Muitas vezes nós não estamos preparados para receber a palavra, é como Jesus mesmo disse certa vez, um solo tem que estar adequado para receber a semente (Mateus 13.1 23) “E, finalmente, o que foi semeado em boa terra: esse é aquele que ouve a Palavra e a entende,” – versículo 23a. Se você quer aprender o que Deus tem para te ensinar prepare a sua terra. Como? Tenha um coração humilde (Tiago 1.21) e ensinável, seja alguém que não se ensoberbecer com o tempo ou com o conhecimento bíblico adquirido, esteja sempre disposto a aprender mais e a rever os seus conceitos. Além de ouvir atentamente estando disposto a ser quebrantando pela palavra, coloque-a em prática conforme Tiago 1.22 nos adverte.

Se o meu amigo consegue se converter mais de uma vez, certamente é porque ele está sensível a ouvir a palavra e mais do que isso está com o coração humilde esperando a hora de aprender para colocar em prática. Que sejamos mais como ele, que nos convertemos mais vezes, para que seja possível vencer velhos hábitos, e nos soltar dos pecados que nos prendem e nos impedem de focar em Deus. Ajuste seu foco, endireite o seu caminho.

Você já se converteu hoje? Está esperando o quê?

JG