Esse não é um texto para falar de Cristo, pelo contrário, é um texto para falar de nós mesmos e de Lúcifer, do latim (luce ferre) que quer dizer “portador de luz”. Nos dias de hoje, numa nova interpretação da palavra, o chamam de Diabo (caluniador, acusador), ou Satã (cuja origem é o hebraico Shai’tan, que significa simplesmente adversário).

Já está mais do que na hora de se atentar que a Guerra Espiritual acontece todos os dias a todo momento, onde “anjos e anjos caídos” lutam entre si para ver quem conquista sua atenção. Lúcifer não está nos esperando com um tridente e chifres, visto que ele pode se disfarçar até de anjo da luz (2 Coríntios 11:1), ele está em qualquer esquina como um garoto lindo ou uma menina sensual, ele esta em qualquer rodinha em um barzinho pelas ruas, está na sala de aula, em uma empresa, ele está nos cercando querendo qualquer, QUALQUER, brecha para se infiltrar discretamente nos nossos pensamentos e sentimentos, desviar nossa atenção do foco que é Jesus, a vida de Cruz.

Está na hora de fazer os jovens acordarem para a realidade, porque ser cristão não é só ir a igreja todo final de semana, a igreja não é um clube, não é um “point”, ser cristão é viver a vida que Deus tem para nós, é ter intimidade com Deus, é orar e ler a Palavra, é aplica-la no decorrer do dia, da vida. É vigiar o tempo todo (1Coríntios 10: 12) escolher amar o próximo ciente de que ele, assim como qualquer outra pessoa, é um pecador, ou seja, ele pode te machucar e não atingir suas expectativas. Ser cristão é saber lidar com o pecado sem maltratar o pecador. Deus pede que não concordemos com o pecado mas amemos o pecador (1João 4: 7 e 12; 1Pedro 1:22; João 13:34). E muitas vezes não sabemos lidar com o pecado do outro, não sabemos o que é amar (aprenda aqui um pouco mais sobre isso), amar é investir na vida da pessoa, interceder.

Esse tem sido um desafio pra mim, sair do meu comodismo e ir me importar com o meu próximo. É lógico que eu falho e muitas vezes não consigo, mas coloquei um propósito de vida pra mim (e peço oração por isso). Sei que muitos de vocês de esforçam, mas ao mesmo tempo alguns são tão cegos para essas coisas, que eu fico triste. Usam uma pulseira escrito W W J D (what would Jesus do – o que Jesus faria) mas na hora de colocar em prática todos se negam, abaixam a manga da camisa para não verem a pulseira. Se queremos tanto ser uma “família” sermos “um” devemos começar a agir como tal.

E que fique claro que, de maneira alguma, eu me coloco superior a você que está lendo. Sei que tenho minhas falhas e meus pecados, sei que não seremos perfeitos mas podemos tentar ser dignos de sermos chamados santos, geração eleita, povo exclusivo de Deus, família de Cristo (1Pedro 2: 9) e honrar a Deus respondendo ao nosso chamado (intimação, praticamente):

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.”  Marcos 16:15

JG