A Vida do Siga-me

Deixe suas malas

A vida é uma jornada. Colocamos nas malas o que iremos precisar ao longo do caminho, aquilo que tenha algum significado para a viagem e que julgamos valer a pena carregar ao longo do tempo. Entretanto, para a jornada da vida, não carregamos apenas aquilo que vemos e podemos tocar. Na verdade é muito mais intenso do que coisas materias. Colocamos na bagagem todas as coisas que envolvem a vida: as responsabilidades; as conquistas; a rotina; família; os trabalhos; estudos; as pessoas; relacionamentos; compromissos; profissões; e não podemos esquecer do passado; das frustrações; dos nossos erros e culpas. Quanto pesaria a bagagem da nossa história? Uma mochila seria suficiente ou várias malas de viagem seriam necessárias para colocar tudo? Seria possível carregar essa bagagem ao longo da jornada?

Não se sinta mal, mas preciso dizer que não é possível carregar tanto peso por muito tempo. A verdade é que, independente de qual seja sua história, se for colocar em uma mochila tudo o que faz parte da sua existência, você não sairá do lugar. Ao fazer essa analogia é possível perceber o quão desnecessários são alguns pesos que carregamos e por mais sem sentido que eles sejam, talvez não saibamos onde deixá-las. Então, o que fazer?

Com Cristo é leve!

Mais uma vez a Bíblia nos mostra uma solução formidável! Só de ler Mateus 11:28 dá para recuperar o fôlego. Existe um lugar onde podemos ir! Jesus diz:“Venham a mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados e eu os aliviarei”. Jesus é o lugar!  O teologo Beacon em um comentário sobre esse trecho diz que “Jesus não disse à humanidade pecadora: ‘Afastem-se de Mim’, mas sim Vinde a mim (28). Quem está sendo convidado? Todos os que estais cansados e oprimidos. A primeira referência era aos judeus, sob o jugo da Lei. A Lei — escrita e oral — como era interpretada e aplicada pelos rabinos, tornava-se um fardo excessivo para se carregar (Mateus 23.4; Atos 15.10). A segunda referência clara é ao peso esmagador do pecado e da culpa do homem, sobre o seu coração”.

Aqui percebemos que Jesus não faz diferença entre pessoas, sejam cristãos ou não cristãos; sejam ricos dos conhecimento e da teologia ou os pobres de entendimento e compreensão. Cristo chama todos  os tipos de pessoas. Nos fazendo entender que todos precisam de descanso em algum grau. E não para por aqui, ao irmos até Cristo é como se Ele fosse tirando de nossas mãos as bagagens que não importam para a jornada da vida. Ele alivia o fardo que carregamos ao dar sentido e significado a essa jornada.

Cristo nos dá o descanso que precisamos porque reconhece nosso estado de fadiga espiritual e nos chama a caminhar pela vida de uma forma diferente. Ele continua nos versículos 29 e 30: “tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim que sou manso e humilde de coração; e vocês acharão descanso para a sua alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”.

O convite de Cristo envolve submissão, ou seja, aceitar o senhorio dEle em nossas vidas, confiando que por estarmos nEle não precisamos nos preocupar com o que queremos levar nessa jornada. Ele nos chama a aprender com Ele, com o próprio roteirista dessa aventura. “A submissão a Jesus Cristo traz a maior libertação que uma pessoa pode experimentar; na verdade, a única libertação que ele pode experimentar, porque só através de Cristo há  liberdade para se tornar o que Deus o criou para ser”.  John MacArthur

Jesus nos chama para aprender com Ele porque certamente não sabemos o que fazemos. Encontrar com Jesus exige uma ruptura com a velha maneira de viver (Gálatas 2.20). O essencial tem um novo significado, a jornada faz sentido e o fardo é leve, pois Jesus nos ajuda a trilhar o único caminho que nos levará a Deus (João 14:6). Mesmo depois de nos convertermos, temos o péssimo hábito de acumularmos coisas em nossos ombros. Sendo Cristo um mestre sábio, Ele nos chama diariamente para deixarmos o que precisa ser deixado para trás.“Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficam para trás e avançando para as que estão adiante de mim, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”.( Filipenses 3.13-14).

Paulo, o apóstolo de Cristo, entendia a necessidade de deixar as coisas para trás. Essa é uma lição que precisamos aprender: deixar para trás aquilo que fica para trás, sejam coisas boas ou ruins elas tem um lugar para ficar. Jesus nos deixou um lugar: a cruz. Na cruz encontramos remição do passado (1Corintios 6:11); um objetivo para o presente (Mateus 28:18-19) e paz ao pensar no futuro, pois temos paz com Deus (Romanos 5:1).

“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha e assentou-se à direita do trono de Deus”(Hebreus 12.1-2).

BG

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s