Entre as manchetes “Um novo caso no Brasil é confirmado” e “Mais de 12 mil mortes por coronavírus são confirmadas no mundo“. Gostaria de trazer nossos corações e mentes para o alto, de onde vem o nosso socorro (Salmo 121). Passamos por um momento extremamente triste e crítico, em que facilmente uma pandemia pode se transformar em pandemônio, em puro caos. E temos ao nosso alcance o poder para impedir que isso aconteça.

E o Deus da esperança encha vocês de toda alegria e paz na fé que vocês têm, para que sejam ricos de esperança no poder do Espírito Santo” (Romanos 15.13).

A nossa esperança pode definir como enfrentaremos essa crise. Existe um equívoco muto grande quando se fala sobre esperança, pois na maioria das vezes usa-se a palavra para se referir a algo que gostariam que acontecesse, mais como um desejo. Contudo, ao olharmos para a aplicação da palavra “esperança” na Bíblia vemos que seu significado tem muto mais a ver com uma certa expectativa de uma realidade futura. Ou seja, enquanto a fé a certeza do que não se pode ver, a esperança é a certeza daquilo que se verá (pois já é uma realidade no futuro).

Ressignifique a sua esperança

Somos seres humanos finitos e por sermos finitos nos deparamos com a verdade de que não sabemos de tudo e tão pouco podemos ter a certeza do futuro. Sendo assim, a esperança não é algo natural em nossas vidas, ela tem uma fonte: “Somente em Deus, ó minha alma, espere silenciosa, porque dele vem a minha esperança” (Salmo 62.5 – grifo do autor). A nossa esperança vem de um Deus soberano sobre todas, TODAS, as circunstâncias (isso inclui o covid-19), um Deus que estava antes do princípio e criou todas as coisas (Gênesis 1.1), um Deus que reina sobre tudo o que existe (Salmo 103.19) e que desde o começo já tinha um plano: “Cristo Jesus, nossa esperança” (1Timóteo 1.1).

O futuro que se atrela a nossa esperança não é, necessariamente, que o vírus será erradicado e a vida de todos voltarão ao normal. Entenda, isso pode acontecer e temos que seguir orando com fé por cura e misericórdia, e cumprindo as orientações que temos recebido. Mas a nossa esperança tem que estar firme em apenas uma coisa: “a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo” (Tito 2.13). Em Cristo temos reconciliação com Deus, perdão dos nosso pecados e a certeza de um futuro bom em que viveremos a eternidade com Deus. Eternidade essa em que “lhes enxugará dos olhos toda lágrima. E já não existirá mais morte, já não haverá luto, nem pranto, nem dor […] Nela não entrará nada que seja impuro, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro” (Apocalipse 21.4 e 27).

Que durante essa quarentena possamos colocar nossa esperança para fora e aproveitarmos essa situação para que outros possam conhecer o Cristo que nos garante um futuro bom. Lembre-se que a esperança não se limita a esse mundo, mas é para toda a eternidade.

Peço ao Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, que conceda a vocês espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele. Peço que ele ilumine os olhos do coração de vocês, para que saibam qual é a esperança da vocação de vocês, qual é a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual é a suprema grandeza do seu poder sobre nós, os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder (Efésios 1.17-19).

JG