É chegada a hora, as fantasias já estão preparadas, as casas e escolas decoradas e os doces comprados. Todos ansiosos para ouvir ou dizer o famoso “doces ou travessuras”. Contudo, é contraditório ver a quantidade de cristãos que estão se submetendo e submetendo seus próprios filhos a participar de atividades relacionadas ao tema. Talvez você esteja pensando “opa, mas é só uma festa”, então prefiro que me considerem radical, pois minha posição está firmada no que a Bíblia nos diz, eu te aconselho a ler o texto A Reforma do Halloween para se aprofundar no assunto. E nesse caso, a Palavra é claro ao dizer que devemos focar nas coisas do alto. Então, se for para comemorar o dia 31 de outubro, que seja o de 1517.

Um pulo no passado

Em 1517 foi pregada na porta da igreja em Winterberg as 95 teses pelo monge agostiniano, chamado Martinho Lutero. Que não concordava mais com o que a igreja estava impondo como o caminho para se achegar a Deus. E para lutar contra isso se dedicou fiel e radicalmente ao estudo da Bíblia, onde se deparou com Romanos capítulo 1, versículo 17 que diz: “Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: O justo viverá pela fé”. E nesse dia foi o pontapé da Reforma Protestante. Dessa forma a ideia da reforma era voltar para a base ensinada e pregada pelos apóstolos no novo testamento. Para ajudar a entender as teses e a ideia principal, foi feito um “resumo” conhecido como os cinco solas. Sendo eles: Sola scriptura; sola fide; sola gratia; solus Christus e Soli Deo gloria.

Saber os cinco solas é algo importante, entretanto não deve ser apenas aquisição de conhecimento, deve gerar incomodo em nosso ser, deve nos impulsionar a crescer. Lutero disse: “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado”, dessa maneira rejeite o halloween e foque em como viver os cinco solas.

A Reforma aplicada

Se a Bíblia diz que todos pecaram e estão separados da glória de Deus, devemos nos perguntar “de que maneira podemos ser justificados e perdoados?”. “A resposta está somente na Escritura, e a Escritura ensina que é somente pela graça, somente pela fé, somente em Cristo e tudo isso para a glória de Deus” (Augustus Nicodemus). Devemos reformar se quisermos avançar!

Somente a Escritura: “Devemos à Escritura a mesma reverência que devemos a Deus, porque ela procedeu somente dele, e não tem nada de homens misturado a ela” (John Calvin). A palavra de Deus é a autoridade máxima, não podendo ser submetida a palavra dos homens ou a nenhum tipo de documento humano. Por isso, leia a bíblia, não se contente com outros lendo-a para você. Tenha em mente que a fé vem de se ouvir a Palavra (Romanos 10.17), se atente a pregações expositivas, estude cada verso, converse sobre a Bíblia com seus irmãos e ore e Palavra. “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o servo de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2 Timóteo 3.16-17).

Somente a fé: é somente a fé que salva, não é por obras. As obras não devem ser feitas para alcançar a salvação, mas devem ser feitas porque fomos salvos. É necessário entender que o principio da idolatria é colocar a sua fé em qualquer pessoa ou coisa que não seja em Deus. Lembre-se que a fé é um presente de Deus e Ele nos deu com um objetivo específico. “Porque a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: ‘O justo viverá por fé’.” (Romanos 1.17)

Somente a graça: é pela graça, não há necessidade de comprar ou dar. A graça não deve ser barganhada nas igrejas. A escolha foi de Deus, foi por seu amor, independentemente do que o homem faz ou deixar de fazer. Fuja desse sistema de troca quer seja por dízimo, oferta ou jejum, aceite que nada do que você faça te colocará no céu. O seu lugar é garantido pela graça de Deus, porque Ele escolheu pagar o preço. Aceite a graça, desfrute da graça. “Porque pela graça vocês são salvos, mediante a fé; e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2.8-9).

Somente Jesus: apenas Jesus é o mediador da nossa aliança eterna com Deus. Através de Cristo temos livre acesso a Deus, Moisés não precisa mais subir no monte em nosso lugar. Sonde seu coração e veja se ele tem batido por Cristo. Qual tem sido sua motivação para fazer as coisas? Quem é o seu mediador, quem você escuta e segue na linha cada conselho? Existe alguém ou algo que está roubando o trono de Cristo na sua vida? Nem toda teologia e estudo do mundo são capazes de nos levar a Deus, apenas Cristo. Foque no seu relacionamento com Jesus! “Porque há um só Deus e um só Mediador entre Deus e a humanidade, Cristo Jesus, homem, que deu a si mesmo em resgate por todos, testemunho que se deve dar em tempos oportunos” (1 Timóteo 2.5-6).

Somente a Deus seja a glória: vivemos num mundo antropocêntrico, onde tudo gira e acontece em torno homem, é a busca insaciável pela glória. O ser humano não foi criado para lidar com a glória, Deus é o único que é digno de receber a glória pois não há outro como Ele, nem maior que Ele. “Não a nós, Senhor, nenhuma glória para nós, mas sim ao teu nome, por teu amor e por tua fidelidade!” (Salmos 115.1).

O dia da Reforma nos faz lembrar de uma época em que a Igreja havia perdido o Evangelho de vista, estavam se apegando a bens materiais e haviam encoberto a Palavra com tradições e religiosidade. Que nesse 31 de outubro (ou qualquer que seja o dia) a luz das Escrituras invada a escuridão de nosso coração e traga a nossa mente que “o verdadeiro tesouro da Igreja é o evangelho de Jesus Cristo” (Martinho Lutero). E digo mais, o verdadeiro tesouro das nossas vidas é Jesus Cristo. Apenas nEle temos vida, e vida em abundância!

JG