Certo dia eu decidi que queria começar a malhar, fui até a academia, conversei com o professor e expliquei minha situação. O professor fez um treino para mim, no papel estava escrito exatamente quais máquinas eu deveria fazer e por quanto tempo. Mas eu não sabia usar as máquinas, então ele teve que me acompanhar em todas elas me explicando como usá-las. Ele teve que fazer isso nos primeiros dias de treino, depois conforme eu praticava os exercícios eu dominava a “arte” de entender como aqueles aparelhos funcionavam e quanto mais usada os aparelhos mais eu perdia peso e ganhava massa. Três meses depois parei com a academia, mais de um ano depois resolvi voltar e, o professor teve que me explicar como usar cada aparelho novamente. Apenas conhecer os aparelhos, ler meu treino não me faz atingir o meu objetivo que é entrar em forma.

Os pesquisadores da mente e do comportamento humano dizem que se não exercitamos o que aprendemos, esqueceremos 25% em 6 horas, em 1 dia 33%, e em 6 meses esquecemos 90%. A verdade por trás dessa informação (que norteia o nosso texto) é que não devemos ser apenas ouvintes, mas praticantes da Palavra de Deus, se apenas ouvirmos logo esqueceremos.  Tiago deixa isso bem claro no capítulo 1, versos 22 a 25:

“Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer”

Quando Jesus nos chamou a seguir, ele não estava falando de seguir uma leitura, um ritual, ou algo do tipo, ele falou sobre segui-lo com a nossa vida, em nossas ações. Se pararmos para analisar, todas as faculdades exigem para que haja a graduação que passemos por um estágio. Isso acontece, porque ouvir a teoria não é o bastante para saber a prática. A prática se aperfeiçoa com a prática. Com as escrituras não é diferente. A teoria, no caso a teologia, é realmente importante, é através da Palavra que sabemos como devemos agir, é a lei que nos mostra nossas transgressões, é a Bíblia que nos ensina os princípios e os valores que são importantes para Deus. Mas apenas ler, grifar e estudar não nos torna cristãos de verdade. Precisamos seguir, precisamos nos mover, é impossível seguir alguém estando parado apenas lendo ou ouvindo.

Praticar a Palavra de Deus é torna-la em uma experiência pessoal, é trazer a vida aquilo que aprendemos. Ao obedecer ao Senhor estamos expressando de maneira viva a nossa fé.  Tiago ainda nos diz que a lei (a Palavra de Deus) nos traz liberdade. Isso acontece porque a lei não apenas aponta e revela nossos pecados e nossas falhas, mas ela também nos direciona a verdadeira felicidade, que é estar em Cristo, o nosso salvador, que morreu para nos dar vida. A Palavra nos oferece uma solução: a cruz de Jesus. Somos livres para praticar a lei! A grande questão é: quando você lê a Bíblia, ou escuta a mensagem do pastor, você faz isso com o coração pronto para colocar tudo em ação? Ou você apenas absorve e logo se esquece; apenas grifa os versículos, mas não os vive? Deus enche nossas 24 horas do dia com oportunidades de sermos representantes visíveis dEle. Não desperdice sua oportunidade.

“Muitos crentes marcam suas Bíblias, mas não deixam que suas Bíblias marquem suas vidas“ — Pr. David Merkh

JG