As eleições se aproximam e tudo o que não precisamos falar é sobre política. Recentemente eu voltei para o Facebook e não foi necessária uma semana para que eu me arrependesse, é a rede social que mais parece comício e horário político. No começo achava divertido ver tantas polêmicas em cima de candidatos e partidos, pessoas se irritando e causando brigas online, confesso que minha vontade era estourar uma pipoca e ver a enxurrada de comentários em determinados posts. Mas isso começou a tirar minha paz quando vi pessoas do meu convívio cristão sendo definidas por partidos ou por “hashtags”. No meio desse caos todo, Deus usou os seus para trazer luz, Henrique Negri, o marido de uma amiga, postou a seguinte frase “Se meus amigos cristãos do Facebook divulgassem o reino de Deus da mesma forma como divulgam sobre política e seus políticos tão amados, talvez o mundo estivesse em uma situação bem melhor”. Precisamos parar o mundo e voltar a essência de todas as coisas.

“Pois nele foram criadas todas as coisas, nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele” (Colossenses 1.16), se nos declaramos cristãos, certamente é porque acreditamos no sacrifício de Jesus, o reconhecemos como único e suficiente salvador, acreditamos que Deus criou todas as coisas. Ele está no controle de todas as coisas, nada do que acontece nessa Terra pode pegar Deus de surpresa.

Se você é cristão e está preocupado se o seu candidato será eleito ou não, não se esqueça que você já foi eleito: “Vocês, porém são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2.9). O nosso propósito aqui na terra é muito maior do que defender um ser humano tão pecador quanto nós mesmos. Óbvio que saber sobre política e sobre os partidos é importante, mas somos exclusivos de Deus e a finalidade disso é anunciar aquilo que Deus fez e continua fazendo: concedendo graça e misericórdia, perdoando e salvando almas da morte eterna.

Quando eu olho para o mundo e para o estado em que a igreja de Cristo se encontra por causa das eleições, pouco importa quem vai ganhar mês que vem. O que me preocupa e deveria te preocupar também, é ver que defender candidato, ondas e movimentos tem cada vez mais segregado a família de Jesus. E Ele foi tão claro quando disse: “Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz” (Efésios 4.3), a nossa unidade só foi possível porque Deus assim concedeu através da morte expiatória de Cristo na cruz. Mas é responsabilidade do cristão conservar essa unidade. A Palavra de Deus é muito objetiva quando afirma que tudo o que fizermos deve ser feito como se fosse para Deus (Colossenses 3.23).  E “tudo” é realmente tudo. O que engloba aquilo que você pensa, faz e fala! Então se os seus posts, comentários e discursos sobre política tem servido mais para incitar o ódio e a segregação entre aqueles que são (ou deveriam ser) seus irmãos, PARE, apenas pare e repense.

Meu posicionamento não é que defender alguém ou alguma ideia seja errado. Na verdade, verdadeiros e bons cristãos fizeram isso da maneira correta e impactaram o mundo (a exemplo de Lutero, Martin Luther King Jr, Elizabeth Fry, entre outros) pois o foco deles era apontar a cruz e revelar a glória de Deus naquilo em que defendiam. Mas é preciso entender que para isso precisamos nos relacionar primeiro com Deus. Aprender a amar a Palavra e a viver verdadeiramente o evangelho em todas as áreas da nossa vida. Se fizéssemos isso com o amor, a garra e a determinação que temos usado para nos posicionar diante da eleição, não restam dúvidas de que o Brasil estaria colhendo os nossos frutos, frutos de paz, amor e salvação.

Romanos 13 versos de 1 a 3 diz: “Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá”. Esse é um dos momentos mais propícios para mostrarmos que temos fé, que realmente o nosso Deus é o Deus que governa sobre todas as coisas, inclusive sobre a eleição. Durante um curso sobre o livro Inteligência Humilhada, o professor Daniel Medeiros disse “que raios de fé eu tenho se não consigo confiar/ descansar em Deus… inclusive em relação a política?!”. Mostre ao Brasil a sua fé, mostre que ainda que as coisas não saiam da maneira como você gostaria você ama tanto a Deus que se submete à autoridade e ao controle dEle.

Então, nesse momento caótico em que vivemos gostaria de deixar registrado algumas dicas que podem facilitar o seu dia a dia. Lembre-se: O porquê você está escrevendo/ compartilhando/ discursando sobre algo ou alguém (e que fique claro o motivo tem que ser para honrar a Deus); Usar a Bíblia para defender seu candidato com piadas infames definitivamente é pecado, falta de reverência e temor, afinal é a Palavra do Senhor e não um pretexto para enaltecer pecador; O voto é secreto; Ninguém tem a obrigação de concordar com você; Os outros também tem suas próprias opiniões; Você deve promover a paz e a graça de Deus porque esse é o nosso chamado; A sua fé é maior e mais importante do que qualquer ideologia ou partido.

Por fim, eu gostaria de ressaltar que eu não sou uma professora, você não é uma artista, você não é um engenheiro, não é um advogado, não é uma empresária. Você é cristão, um filho de Deus que tem o privilégio de exercer determinadas funções para a glória do Pai. Sendo assim a “hashtag” que você deveria compartilhar é “ninguém nunca”, porque ninguém nunca vai te definir ou te representar a não ser Cristo!

A nossa identidade deve ser achada na cruz, pois ela nos lembra de quem éramos, nos molda ao caráter de Cristo e aponta para o que ainda seremos.

JG