Uma geração de cristãos que busca cada vez mais sentir a presença de Deus, essa é a era em que vivemos. Mensagens e músicas tem batido sempre na mesma tecla “precisamos sentir a presença de Deus”. E talvez você não veja nada de errado nisso, afinal o que há de errado em querer sentir a presença de Deus?

Acredito que todos nós, que um dia já aceitamos Cristo como nosso salvador, passamos por momentos em que simplesmente não sentimos a presença de Deus. Não sentimos nada, nem vontade de orar e muito menos de ler a Palavra. E muitas vezes não sentir a presença de Deus nos leva ainda para mais longe dEle. Gostaria de te mostrar algumas “possíveis” causas que podem te fazer não sentir a presença do Pai:

  • Pecado. O pecado tem a péssima mania de querer nos afastar do Pai. Ouso dizer que sua maior arma é a mentira, o diabo tem um arsenal delas (até porque ele é o pai da mentira João 8.44). Umas das mentiras que o pecado traz com ele é querer fazer com que você acredite que o seu pecado te impede de entrar na presença do Pai, e então você se esquece que Cristo morreu por todas as nossas transgressões, para que através dEle nós tenhamos acesso ao Pai mesmo quando pecamos.
  • Uma oração não respondida. Talvez haja em seu coração uma questão amorosa, um problema financeiro, uma enfermidade, algo para ser restaurado, uma resposta que ao seu ver pode mudar sua vida. Mas então você recebe apenas silêncio, ou será que você não está sentindo a presença de Deus te respondendo?
  • Uma situação difícil. Os famosos “desertos da alma”, aqueles momentos em que você se sente sozinho, abandonado, rejeitado por todos, nada faz sentido, porquê justo você tem que passar por isso? Cadê Deus?

Sim, todos pecaram e estão destituídos da presença de Deus , contudo Cristo veio para morrer no lugar de seu povo(Romanos 3.23 – 24 ). E todo aquele que confessar com sua boca que Jesus é Senhor e que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo (Romanos 10.9). A Bíblia fala que o Pai perdoa nossos pecados, apaga nossas transgressões e lança no mar (Miquéias 7.18-19). Uma vez que somos salvos, o Espírito Santo irá gerar em nós o arrependimento e assim o nosso pecado já não pode nos afastar de Deus. A Bíblia também nos diz que “maldito é o homem que confia no próprio homem, ou maldito o homem que confia em seu próprio coração” (Jeremias 17.5 e Provérbios 28.26), muitas vezes nós achamos que sabemos o que é melhor, qual é a melhor solução para nosso problema. Somos egoístas, achando que temos prioridade no Reino, que temos que ter nossas orações respondidas imediatamente “Como assim Deus visualizou e não respondeu?”.

As Escrituras estão cheias de orações não respondidas, Davi passou uma semana orando e jejuando para que seu filho com Bate Seba não morresse, ele morreu (2 Samuel 12.14-31). Elias, Jonas, Moisés e Jó (personagens próximos de Deus e importantes no curso da história) oraram clamando pela morte e não morreram. Jesus orou pedindo que se possível Deus afastasse o cálice de sua ira, Jesus bebeu o cálice até a última gota. Paulo orou para que Deus o curasse de um “espinho na carne”, sabemos que o espinho permaneceu com ele e Deus o respondeu “minha graça te basta” (2 Coríntios 12. 7-9). Davi passou por alguns desertos da alma (leia Salmo e você entenderá), mas ele sabia que ainda que se sentisse só o Senhor estava com ele “até quando, Senhor, te esquecerás de mim? Será para sempre? […] eu porém confio em teu amor” (Salmo 13).

Essas possíveis causas não se sustentam, mas a sua pergunta ainda permanece “O que há de errado em querer sentir a presença de Deus?”. E eu te pergunto: por que você precisa tanto sentir a presença de Deus? Como eu disse vivemos em uma “era cristã” do sentimentalismo, das emoções, dos cultos a meia luz, das músicas com frases repetitivas que conduzem teu corpo e teus sentimentos a se emocionar, entenda não há problemas em um ambiente assim. Não vejo nada errado em se emocionar na presença do Pai, ou diante do que Ele tem feito ou fez.

O problema é quando buscar sentir a presença dEle é tudo o que importa. Deus não nos diz que viveremos por sentir algo, e sim que “o justo viverá pela ” (Hebreus 10.38), a fé é “a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos” (Hebreus 11.1) e “a fé vem por se ouvir a mensagem” (Romanos 10.17). A fé é apesar dos sentimentos e muitas vezes ela vai contra aquilo que sentimos, a fé ao contrário do que se pensa é um ato racional, é preciso escolher ter fé. Não encontrei um verso sequer na Palavra que me diz que eu devo buscar sentir a presença de Deus, mas encontro versos que me encorajam a viver um relacionamento com Deus baseado na verdade e na constância (Josué 1.8).

É claro que algumas pessoas são mais sensíveis e acabam se emocionando quando estão tendo um tempo com Deus, louvando ou o cultuando, isso não é pecado. Mas emoções estão constantemente mudando, a sua relação com Deus não pode ser baseada em algo que não dura. E se você nunca mais sentisse a presença de Deus, ainda o amaria? Essa relação não é para ser baseada em sentimentos, caso contrário o versículo de Oseias capítulo 4 seria “meu povo está sendo destruído porque não me sente”, quando na verdade é “meu povo está sendo destruído porque não me conhece” (v.6). Conhecer o Senhor implica em amá-lo (1Coríntios 8.3), amar a Deus implica em obedecê-lo (João 14.15).

Sentir a presença de Deus não é a essência do Cristianismo, Deus não quer que você sinta a presença dEle, Ele prefere que você creia que Ele está contigo mesmo que não sinta. Trabalhe no seu relacionamento com Deus, ame o Senhor de todo o seu coração, de toda sua alma, de toda suas forças e de todo o seu entendimento” (Marcos 12.30). Quando não sentir nada, quando não sentir vontade de estar com Pai, lembre-se que não é preciso sentir, o importante é reconhecer a sua necessidade, a sua fraqueza e buscar o Pai através da leitura da Palavra e da oração. Invista nesse relacionamento.

Não queira sentir Deus, busque conhecer a Deus

JG