É um fato, que Deus quer que amemos uns aos outros, mas será que sabemos o que é amar, o que é amor?!

“Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Gl 5:14)

“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” (Rm 13:8)

 O capitulo 13 do livro de Primeira Coríntios descreve o amor nos versículos de 4 à 10 “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará. Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos; quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.”

Agora temos uma noção do que é o amor, mas as coisas podem ficar melhor em Primeira João capítulo 4 versículo 8 fala: “Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.” Se Deus é amor, logo podemos fazer uma “pequena” mudança no texto de Coríntios: “DEUS é paciente, DEUS é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. DEUS não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. DEUS nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará. Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos; quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.”

Quando amamos o nosso próximo deixamos fluir de nós uma parte de Deus, despejamos sobre o outro um pouco de Deus. Amar não se restringe apenas aquelas pessoas que conhecemos e temos afinidades, devemos amar aqueles que muitas vezes nos fazem mal, aqueles que não temos tanta coisa em comum, e até aqueles que nem chegamos a conhecer. Hoje em dia está na moda o amor, todos amando todos, mas a grande questão (principalmente para um cristão) é: “Como estamos amando?”

Estamos amando o visitante que chega, estamos sendo pacientes com aqueles que são mais tímidos e fechados? Estamos sendo bondosos e não nos vangloriando do que fazemos/temos? Estamos amando ao ver a conquista de um irmão e não sentindo inveja? Estamos deixando de nos irar, estamos colocando pra fora todo rancor? Estamos nos alegrando com a verdade e inconformados com a injustiça? Será que estamos, realmente amando, a todos e todo o tempo ou apenas quando nos convém? Eu devo amar, com palavras, com atitudes, com pensamentos e com oração. Eu devo amar com minhas emoções e devo amar racionalmente. Devo amar porque Deus quer que eu eu ame, devo amar porque Deus é o amor!

Eu escolhi amar, e você?

JG